Retornei a esta região pois em passagem anterior o clima não me favoreceu e tive uma grata surpresa com as belíssimas paisagens e poder fazer outras visitações turísticas.

Desta vez acessando por Linha Imperial em Nova Petrópolis/RS fui a Pinhal Alto, distrito da cidade.
O acesso ao distrito é todo asfaltado e proporciona um belo visual da região e um dos atrativos na chegada é o Museu Comunitário do Distrito outrora chamado de Tannenwald.
Conta a história do distrito e da Família Wickert, que cedeu a casa a associação de moradores. Visitar o museu é uma viagem no tempo a chegada dos alemães a esta região. A calmaria reinante no distrito é fenomenal.
A imigração se iniciou na região em 1858, com grande parte vindos da Alemanha.
Alguns com países já extinto como os Pomeranos, Saxões, Renanos e Boêmios do Império Austro-Húngaro. Esta região em si, Boêmios.
Ao lado, acessando por estrada sem pavimento, mas de excelente qualidade já chegamos a Vinícola Casa Scholles que possui uma bela estrutura e proporciona uma linda vista dos vales da região e dos parreirais.
Quer conhecer segue o endereço eletrônico: facebook.com/casascholles
Uma dica de hospedagem na região: www.pousadabauernhof.com.br
Na própria região da Pousada em Nove Colônias existem alguns locais para contemplação dos vales.
Dica:
Peça indicações ao Astor Boelter (proprietário) sobre os locais pois são próximos e de fácil acesso.

Um bate papo na  Casa de Pedra com o Lauri Aldreider e saber da história da região, da casa que foi ponto de referência e de todos os moradores e viajantes que por ali transitavam.
Nessa casa que possui mais de 100 anos, funcionou um armazém onde se vendia de tudo: alimentos, louças, remédios e ferramentas além de serem feitos festas de casamentos, bailes e festas. Uma referência na região.
E estes locais estão ao lado da RS 235 com acesso extremamente fácil e que passam desapercebidos por turistas que seguem a Gramado-Canela/RS.

Mas pelas fotos já se observa que é para quem deseja sossego e conhecer um pouco mais desta cultura e de nosso Rio Grande.
Por Jerre Rocha

Deixe uma resposta