Enquanto percorria a RS-265 no trecho que separa Canguçu e São Lourenço do Sul na zona sul do estado do Rio Grande, ia avistando os campos da Serra dos Tapes e seus vilarejos. Esta rodovia encurta caminho não se fazendo mais necessário ir a Pelotas para somente então se dirigir a Canguçu.
Curvas e curvas sendo feitas tranquilamente com meu pensamento repassando os momentos passados no dia anterior em Canguçu, cidade com uma população urbana com em torno de 20 mil pessoas.
Também chamada de Serra do Sul, a cidade teve sua origem no povoado que se fixou no entorno da Capela Curada Nossa Sra. Da Conceição.
Esta construção iniciou em janeiro de 1800 após a aprovação do Presidente da Província de São Pedro.
Em 1812 o povoado foi fundado com o nome de Freguesia de Canguçu e em 27 de junho de 1857 foi elevado a município.
Na estrada de acesso ao Parque Turístico Nossa Senhora da Conceição já se avista ao longe o Cindacta, Destacamento de Controle Aéreo de Canguçu, que dentre suas funções estão a geração e envio de dados de radar, a intermediação das comunicações entre o Centro de Controle e as aeronaves em voo, a vigilância do espaço aéreo e a identificação e quantificação de fenômenos meteorológicos, numa cobertura de 400 quilômetros de raio.
Como ficam próximos pode-se observar o  Parque Turístico  e seu acesso é tranquilo por uma estrada sem pavimento até o Mirante.
A imagem da padroeira estende seus braços por sobre a cidade como se a abençoando e protegendo-a.
A obra do artista Vinícius Cassiano de Canoas, região metropolitana de Porto Alegre, possui 12 metros de altura.
Ainda faltam a escadaria até o mirante, que vai registrar as 14 estações da Via Sacra mas isso não impede que muitos fiéis a visitem diariamente.
O local proporciona uma belíssima vista da cidade e possui uma brisa constante.
Nos finais de tarde muitos moradores da cidade sobem até o mirante para um chimarrão e boas conversas.
Infelizmente a noite o clima mudou e não pude captar imagens noturnas que segundo me comentaram iluminam toda a imagem.





O Museu Municipal Cap. Henrique José Barbosa, nasceu da dedicação e firme vontade da museóloga e pesquisadora da História de Canguçu, professora Marlene Barbosa Coelho.
Marlene não só sonhou, mas tornou realidade o seu sonho.
Em 15 de  dezembro de 1972 foi fundado o Museu Municipal.

Localizado na Casa de Cultura “Marlene Barbosa Coelho”, palacete em estilo neoclássico, construído pela família de Horácio Cruz Piegas em 1879, o museu teve como origem de seu acervo  as doações da família Barbosa Coelho, logo em seguida,  percebendo o empenho de Marlene, muitos canguçuenses contribuíram com as doações que hoje compõem um variado e bonito acervo.
São temas guias do acervo: Armaria, Pinacoteca, Brinquedos, Adornos, Louça , Objetos Campeiros, Artigos Masculinos/Femininos, Objetos Religiosos e Arqueologia.
Não podia deixar de fazer uma rápida visita a famosa Cacimba do Ouro, que quando ativada servia como abastecedora de água para os moradores da região.
Continuamos nossa viagem, mas não tardará para termos um novo destino.
Até a próxima.

 

Deixe uma resposta